sexta-feira, 19 de junho de 2009

Começam na Bahia filmagens sobre vida de Raul Seixas

 
Documentário "O Início,o meio e o fim" marcará os 20 anos sem nosso Maluco Beleza
"A desobediência é uma virtude necessária à criatividade."
(17 de junho,2009)
Dirigidas por Walter Carvalho e Evaldo Mocarzel começaram na Bahia,com entrevistas com familiares, as filmagens de documentário sobre Raul Seixas:“O início,o meio e o fim”,marcando os 20 anos sem o querido Maluco Beleza (foto). Uma banda cover de “Raulzito e os Panteras” fará reconstituição de um show insquecível ,acontecido em Salvador.
Em seguida,estão previstas tomadas de cenas nas estradas de São Paulo e um evento coordenado pela Secretaria de Cultura , montado num palco exclusivo,onde se apresentarão músicos e artistas convidados, executando a discografia do cantor
Raul Santos Seixas nasceu em 28 de junho de 1945,em Salvador . Filho de Raul e Maria Eugênia Varella Seixas,teve um irmão quatro anos mais novo,Plínio.
Cresceu na cidade natal,ainda longe da modernidade que viria mais tarde. Compositor aos 12 anos (Metamorfose Ambulante),desde muito cedo escrevia textos,poesias e criava histórias em quadrinhos,
Raulzito teve a sorte (ou a infelicidade) de se adiantar ao seu tempo,com a biblioteca em casa,à disposição, e as viagens que fazia com o pai-inspetor de ferrovias-quando observava a criatividade dos repentistas O gosto musical veio primeiro pelo rádio,onde acompanhava os sucessos de Luiz Gonzaga e o sonho de se tornar escritor foi meio esquecido ao aderir ao nascente Rock’n Roll.
Organizou com amigos o conjunto "Os Relâmpagos do Rock", mais tarde "The Panters" ,semente do "Raulzito e os Panteras".Convidados pelo amigo Jerry Adriani, todos vieram para o Rio gravar um disco em 1967, que simplesmente não "aconteceu"
Em 1971, contratado pela CBS (atual Sony BMG).Raul participou da produção de artistas da Jovem Guarda, compondo músicas para a tendência que estava se firmando.
O rebelde,no entanto,não estava conformado com a ordem estabelecida e, coerente. gravou,meio escondido,um segundo LP, "Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10 com Sérgio Sampaio, Miriam Batucada e Edy Star" ,retirado do mercado assim que o presidente da empresa retornou de uma viagem. Em 1972 ,participou do VII FIC (Festival Internacional da Canção), promovido pela Rede Globo com "Let me sing" um mix sensacional de baião e rockabilly e "Eu Sou Eu Nicuri é o Diabo" que trouxeram projeção nacional.
("Rockabilly é um subgêneros do rock and roll. Tornou-se conhecido durante os anos 1950, devido a artistas norte-americanos. Durante aquela década, o gênero foi impulsionado por batidas atrativas, guitarras e contrabaixos acústicos que eram tocados usando a técnica slap-back" fonte :Wikipedia )
No ano de 1973 ,veio sucesso com a música "Ouro de Tolo", comentário irônico sobre a ditadura e um tal "milagre econômico" que os milicos inventaram.
Contratado pela Philips (atual Universal Music), gravou o LP "Krig-Ha, Bandolo" ( grito do personagem Tarzan quando avistava um inimigo).
Ali estavam: Metamorfose Ambulante, Mosca na Sopa, Ouro de Tolo, Al Capone, e etc.

Paulo Coelho

Sim, "O" Paulo Coelho,membro da Academia Brasileira de Letras e escritor mais vendido no Brasil e no mundo,então pouco conhecido, foi parceiro em Sociedade Alternativa, Gita, Há Dez Mil Anos Atrás, Canto Para Minha Morte, entre outros.
Raul Seixas e Paulo Coelho se conheceram em 1973, quando Raul escreveu artigo publicado na revista "A Pomba", de Paulo. Ali nasceu a parceria musical(foto) .
Interessados em assuntos esotéricos, foram membros de sociedades secretas:Raul da Grã Ordem Kavernista e Paulo da Sociedade da Besta do Apocalipse e fundaram a Sociedade Alternativa baseada nos pensamentos do bruxo inglês Aleister Crowley. .
Vítima da" Redentora"
Em 1974, preso e torturado pelo DOPS, exilou-se nos Estados Unidos (Paulo Coelho seguiu o mesmo caminho). De longe,ficou sabendo do sucesso do LP "Gita" que lhe deu um disco de ouro( 600.000 cópias vendidas) Voltou ao Brasil e-em 1977-vieram também "Maluco Beleza", "O Dia em que a Terra Parou", "Rock das Aranhas", "Aluga-se" etc. A partir de 1978, começaram problemas de saúde (pâncreas) Em 1980, contratado pela CBS, rescindiu o contrato depois de lançar o álbum "Abre-te Sésamo" Após lançar os discos "Raul Seixas - 1983" e "Metrô linha 743" ,foi internado para desintoxicação. Só voltaria `a cena em 1988, com Marcelo Nova, de quem se tornou parceiro e que o levou a fazer mais de 50 turnês pelo Brasil.
Raul Seixas morreu no dia 21 de agosto de 1989, aos 44 anos,vítima de parada cardíaca e o último trabalho, "A Panela do Diabo", saiu no dia seguinte.Típico,não? É o compositor falecido mais executado no Brasil e uma de suas companheiras, Kika, produziu o livro "O Baú do Raul" (nome do também álbum póstumo), com escritos da vida inteira.
Recomendo,também, o livro "Raul Seixas, Uma Antologia", de Sylvio Passos e Toninho Buda (Editora Martin Claret,2000)
Como você faz falta, Raul.
Seria uma grande voz respeitada,desobediente, dissonante, o "maluco total" nessa " loucura geral",misturando sua maluquês com sua lucidez,no caminho que nós mesmos escolhemos ao escolhermos nossos representantes no Parlamento.
Aguardemos o documentário. ******************************************************************************************************

Nenhum comentário: