domingo, 25 de setembro de 2016

46 anos sem Oscarito



Em 1956,Oscarito-que faleceu em 1970- comprou uma casa na estância hidromineral de São Lourenço,no sul de Minas Gerais para viver após a aposentadoria.

Lá , a pedido de sua viúva ,a também atriz Margot Louro (1916-2011) que ainda residia na cidade, foram concentradas desde janeiro de 2006 as homenagens pela passagem do centenário de nascimento deste gênio da comédia.

A Prefeitura de São Lourenço e a Fundação Municipal de Cultura da cidade mineira organizaram,para marcar a data, eventos reunidos sob o tema “Cem anos de riso” : “Exposição - Oscarito 100 anos de riso,” “Carnaval para a Melhor Idade como nos velhos tempos” incluindo marchinhas e decoração com o temam “Mostra Cinematográfica” nas salas de exibição dos bairros da cidade, “Festival de Corais de Empresas”, o documentário “Oscarito 100 anos de riso” e, no dia do aniversário (16 de agosto) inauguração do busto do artista no Calçadão da cidade. com a presença de familiares, colegas de trabalho e admiradores.

*******

 Oscarito (Oscar Lorenzo Jacinto de la Inmaculada Concepción Teresa Díaz) nasceu em 16 de agosto de 1906 na véspera de uma estréia do Grande Circo do Teatro Coliseu dos Recreios, de Lisboa, em Málaga. e chegou ao Brasil com um ano de idade.
Costumava dizer que poderia ter sido marroquino,pois o circo em que seus pais trabalhavam como trapezistas(pai alemão, mãe espanhola) ali estava em turnê alguns dias antes.

A família tem 400 anos de tradição circense e Oscarito tinha tinha parentes italianos, franceses, ingleses, espanhóis e dinamarqueses.
Aos 5 anos pisou o palco pela primeira vez, fazendo papel de índio na montagem de ‘O Guarani”, de José de Alencar.
Oscarito começou fazendo acrobacias no circo, ao lado de sua mãe Clotilde e de sua irmã mais nova, Lili e trabalhou também como palhaço,trapezista,acrobata galã e era um bom violinista.
Tocou em salas de projeção nos tempos do cinema mudo.

 A fama

 Em 1932, Alfredo Breda, que atuava na Praça Tiradentes, o convidou para imitar Getúlio vargas, na revista “Calma,Gegê , uma sátira ao presidente Getúlio Vargas, no Circo Democrata

 Antenado com o gosto popular, Getúlio costumava assistir as peças em que era satirizado e convidou Oscarito para almoçar num ano novo,no Palácio Rio Negro, em Petrópolis, residiencia de verão da Presidiencia da República.

Estes almoços se repetiram muitas vezes, para comemorar cada 1º de janeiro. Em 1934,antes de viajar para uma temporada em Portugal, casou-se com a atriz Margot Louro, jovem atriz muito bela, que vinha de uma família também circense( Circo Democrata na Praça da Bandeira,Rio de Janeiro Da união feliz nasceram Mirian Teresa(atriz) e José Carlos,baterista. Artista completo, trabalhou em circo, teatro, rádio e cinema.  

Nível internacional

A estréia no cinema foi em”A Voz do Carnaval” ,de 1933,e no elenco, estava Carmen Miranda. A partir de “Noites Cariocas”,de 1935, ligou-se ao parceiro Grande Otelo, com quem fez dupla em 34 filmes da Atlândida, entre 1944 e 1962.
 Bob Hope, humorista americano, encantado com a imitação de Rita Hayworth no papel de Gilda em “ Este Mundo é um Pandeiro” (1947) convidou o ator para filmar nos Estados Unidos.
 Oscarito, em depoimento ao Museu da Imagem e do Som, confirmou as propostas para trabalhar na Europa ou em Hollywood e revelou que “sempre recusou, porque se sentia bem no Brasil e era bem aceito" pela população”
E continuou: “ quando solicitei o decreto de naturalização que me deram em 1949, já era 100% brasileiro.” Nos anos 50,auge da fama, campeão de bilheteria, fazia três filmes por ano, incluindo paródias de filmes de Hollywood, como “Matar ou Correr”, de Carlos Manga, em cima do bangue-bangue “Matar ou Morrer”, de Fred Zinnemann. Com 45 filmes, fenômeno de bilheteria era o comediante mais popular da época. .  


Dias finais


 “Temente a Deus e ao imposto de Renda”,levava uma vida certinha e sem vícios ,ao lado da esposa,filhos e netos. 
Num final de semana, enquanto arrumava malas para passar um final de semana em seu sítio de Ibicuí (RJ),Oscarito passou mal: as pernas ficaram dormentes e ele desmaiou.

Um derrame cerebral .que o deixou em coma, causou a morte dez dias depois, em 4 de agosto de 1970. Quando preferiu se retirar para o sítio,edeclarou numa entrevista: "Qualquer dia vão me demolir como um prédio velho. Melhor cuidar das galinhas e dos repolhos”

Engano completo,Oscarito, você continua mais vivo do que nunca.
Nestes tempos de cinismo e impunidade,em que a cultura é tratada com desprezo em benefício de outros valores, seu jeito inocente faz a grande diferença entre o que éramos e no que,infelizmente, nos transformamos.
*****************************
PROJETO OSCARITO ( Fonte FCBB) 

Para homenagear o grande artista,num show no Golden Room do Copacabana Palace com a presença artistas e colaboradores que participaram da vida artística de Oscarito,foi lançado o Projeto Oscarito, que compreende:

 *Criação, pela Fundação Banco do Brasil, do troféu "Oscarito" aos melhores do cinema brasileiro em suas especialidades. *"Semana Oscarito": exibição no SBT de uma semana de filmes de Oscarito.
*Relançamento do livro "Retrospectiva de Oscarito".
*Recuperação dos 46 filmes de Oscarito e dos cartazes desses filmes, pois apenas cinco permanecem intactos, o que irá contribuir para preservar a memória da filmografia brasileira.”

*******************

Filmografia (fonte: site www.cineminha.com.br) 1975 - Assim era a Atlântida 1968 - Jovens Para Frente 1967 - A Espiã que Entrou em Fria 1965 - Crônica da Cidade Amada 1962 - Os Apavorados 1962 - Entre Mulheres e Espiões 1960 - Dois Ladrões 1960 - Duas Histórias 1959 - O Cupim 1959 - Pintando o Sete 1959 - O Homem do Sputnik 1958 - Esse Milhão é Meu 1957 - De Vento em Popa 1957 - Treze Cadeiras 1956 - Vamos com Calma 1956 - Colégio de Brotos 1956 - Papai Fanfarrão 1955 - O Golpe 1955 - Guerra ao Samba 1954 - Matar ou Correr 1954 - Nem Sansão nem Dalila 1953 - Dupla do Barulho 1952 - Três Vagabundos 1952 - Carnaval Atlântida 1952 - Barnabé, Tu és Meu 1951 - Aí Vem o Barão 1950 - Aviso aos Navegantes 1949 - Carnaval no Fogo 1949 - Caçula do Barulho 1948 - é com Este que Eu Vou 1948 - Falta Alguém no Manicômio 1948 - E o Mundo se Diverte 1947 - Asas do Brasil 1947 - Este Mundo é um Pandeiro 1946 - Fantasma por Acaso 1945 - Não Adianta Chorar 1944 - Gente Honesta 1944 - Tristezas não Pagam Dívidas 1941 - O Dia é Nosso 1941 - Vinte e Quatro Horas de Sonho 1940 - Céu Azul 1938 - Banana da Terra 1938 - Bombonzinho 1938 - Está Tudo Aí! 1936 - Alô, Alô, Carnaval 1935 - Noites Cariocas 1933 - A Voz do Carnaval ************************************************************************

Nenhum comentário: