terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Palhaço Carequinha - dez anos sem ele

Postagem  original em 6 de abril de 2006.A população cresceu --mas a roubalheira continuou. A população também aumentou consideravelmente.
Em 2015,por ocasião do centenário de nascimento do querido Carequinha, a FUNARTE organizou exposição comemorativa em Niterói e várias homenagens foram prestadas.

Saudades.

**********


"Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós".
Antoine de Saint-Exupéry




Como você foi embora assim, deixando órfãs as nossas crianças interiores de quatro gerações???
Ah, Carequinha, tá errado, não tá certo, não. Podia ficar mais um pouquinho.

Porque, com você, se foram também minha inocência e meu derradeiro fio de ingenuidade.

Para matar as saudades, folheei de novo um exemplar muito antigo e raro da revista "Realidade" (Editora Abril, 1966) que existe aqui em casa.
Na reportagem "Este homem é um palhaço, este palhaço é um homem", você mostrava que sua pessoa física e sua persona estavam definitivamente coesas e fundidas.

Naquele momento da História, Carequinha, embora a gorilada estivesse mandando brasa e cometendo altas iniqüidades,palhaço era um artista que pintava o rosto, usava gola larga e calças boca-de-sino.

Carequinha era você, o palhaço amigo das crianças, que ensinava que o bom menino respeita os mais velhos.
Hoje somos todos palhaços, amigo, quase cento e oitenta milhões de palhaços.

E o picadeiro é o Congresso Nacional, que deveria ser uma vetusta e respeitada instituição, mas serve de pano de fundo para uma deputada - que não honrou os votos de seus eleitores - dançar e bater palminhas festejando a absolvição de notório corrupto.
E ontem enquanto seu corpo - num derradeiro respeito da família à sua vontade expressa e aos seus admiradores - era enterrado à caráter, um advogado, ali no Congresso, desrespeitou a lei bíblica.

Ele serve a dois senhores, Carequinha: aos Maluf, pai e filho e ao PT, isso tá certo???
Enrolou a imprensa, hipnotizada pela possibilidade de uma coletiva, enquanto o ex Ministro da Fazenda, indiciado em escândalo, dava seu depoimento sem ser incomodado.

Tá certo, Carequinha??? Não, né???

Quantas saudades,pensando em nossos pais, nossos parentes,nosso passado.
E faço hoje esta homenagem simples a você,me solidarizando com sua companheira, seus filhos, netos e bisnetos.
Obrigada por passar tantos conceitos éticos, morais e respeitosos, que aprendi direitinho e pude transmitir a meus filhos e neta.

Até breve, logo nos encontraremos.
Quero que você me receba mexendo na gola da roupa e fazendo aquele olharzinho maroto, levantando e abaixando as sobrancelhas.

************* 
 Centenário de nascimento

 http://g1.globo.com/globo-news/arquivo-n/videos/v/arquivo-n-lembra-o-centenario-do-palhaco-carequinha/4325086/

 O Bom Menino
https://www.youtube.com/watch?v=__SvstrWzYs

***************************

"O palhaço típico morre comigo".

Carequinha

BIOGRAFIA DE GEORGE SAVALLA GOMES
(Fonte: Wikipédia, a Enciclopédia Livre)

Carequinha nasceu numa família circense, seus pais eram os trapezistas Elisa Savalla e Lázaro Gomes. Deu início à sua carreira aos cinco anos de idade, no circo de sua família. Aos 12 era palhaço oficial do Circo Ocidental, pertencente ao seu padrasto.

Em 1938, estreou como cantor na Rádio Mayrink Veiga no Rio de Janeiro, no programa Picolino.

Já na televisão brasileira teve como marco o fato de ter sido o primeiro palhaço a ter um programa, o "Circo Bombril" (posteriormente rebatizado "Circo do Carequinha"), programa que comandou por 16 anos na TV Tupi nas décadas de 1950 e 1960.
Nos anos 80, apresentou um programa infantil na extinta TV Manchete, até ser substituído pela apresentadora Xuxa. Na Globo, participou do programa Escolinha do Professor Raimundo.

Seu último trabalho na televisão foi na Rede Globo, com uma participação na minissérie Hoje é dia de Maria em 2005.

Aos noventa anos ,o artista morreu em sua casa em São Gonçalo, no estado do Rio de Janeiro. Durante a madrugada, ele queixou-se de falta de ar e dores no peito e morreu antes de receber atendimento médico.

Foi enterrado no cemitério de São Miguel vestindo roupa de palhaço, profissão que o marcou e a qual ele abraçou por 85 anos de sua vida.



ATUAÇÃO

Carequinha agitava a criançada com seu bordão "Tá certo ou não tá?". 

Por várias gerações levou alegria a milhões de espectadores. Ainda ativo, no alto dos seus noventa anos, continuava alegrando e educando com suas músicas. Natural da cidade de Rio Bonito, Rio de Janeiro, residia na cidade de São Gonçalo, também no estado do Rio. Iniciou sua carreira com cinco anos de idade e atuou em diversos circos nacionais e internacionais.

Carequinha foi o primeiro artista circense a fazer sucesso na televisão, sendo pioneiro (no Brasil) no formato de programas infantis de auditório que até hoje fazem sucesso.

Gravou 27 discos, fez filmes e colocou sua marca em diversos produtos infantis.
Seu vasto repertório musical, quase integralmente formado por cantigas de roda, constitui hoje, clássicos da música infanto-juvenil, folclórica e carnavalesca. Dentre elas, destacam-se "Sapo Cururu", "Marcha Soldado", "Escravos de Jó", "Samba Lelê", e dezenas de outros.
 

O palhaço Carequinha é considerado por muitos como um patrimônio da cultura brasileira. Suas músicas estiveram sempre entre os maiores sucessos muito no carnaval, como "Garota Travessa", "Carnaval JK", "O bom menino" (aquele que "não faz xixi na cama"), e tantas outras.

Carequinha atravessou várias gerações como ídolo infantil. 


Apresentou-se para vários presidentes, como Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek, João Goulart, passando pelos generais do regime militar e recebendo condecoração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
**********************************

Nenhum comentário: