sábado, 30 de julho de 2011

Um comunicado de Larry Cox, diretor executivo da Anistia Internacional

Com o apoio dos militantes, a cobertura da imprensa internacional e esforços de pessoas de boa vontade, a Anistia Internacional,com orgulho,apresenta resultados de quatro de suas campanhas bem sucedidas neste primeiro semestre de 2011.São vitórias da humanidade, escreve Cox, e pede que reflitamos sobre nosso poder de mudar o curso dos acontecimentos simplesmente... agindo.
***********************************
1- A liberação da jornalista Eynulla Fatullayev torturada por quatro anos em prisões de na República do Azerbaijani, Cáucaso, por criticar o governo de seu país. " Eu estava entre a vida e a morte e fui testemunha de coisas terríveis.Vocês,amigos e militantes da Anistia Internacional,acenderam a chama que iluminou minha alma", escreveu a ex-prisioneira , acusada de crime de consciência.

2-Em abril,milhares de mensagens no Tweeter ajudaram a abrir as portas da prisão para o indiano Faizan Rafiq Hakeen, de 14 anos, detido em fevereiro. O menor foi enquadrado no controvertido Jammu and Kashmir Public Safety Act de 1978 ,vigente na época colonial inglesa e seria punido- sem julgamento e como se fosse adulto- por crime político.
3-O exército egípcio reconsiderou e suspendeu a humilhante prática de teste de virgindade, que estava sendo aplicado às mulheres militantes políticas daquele país sob a alegação de defendê-las de possíveis raptos.Em junho,uma petição enviada pela internet foi decisiva para livrar as manifestantes deste degradante tratamento.
4-A ação da Anistia Internacional colaborou para que,em 9 de março de 2011, Illinois se tornasse o décimo sexto estado norte americano a abolir a pena de morte.

**********************************
Agradeço eu também a todos que tornaram essas vitórias possíveis.
.

Nenhum comentário: