segunda-feira, 20 de junho de 2011

"Exaltação à Mangueira"


(ilustração: site da FAPERJ)

"Mangueira,teu cenário é uma beleza

Que a natureza criou
O morro com seus barracões de zinco, quando amanhece, que esplendor

Todo mundo te conhece ao longe, pelo som dos teus tamborins e o rufar do teu tambor"
("Exaltação à Mangueira", de Enéas Brites da Silva e Aloísio Augusto da Costa,hino informal da verde e rosa)
*******************************
Comunidade pacificada ontem agora tem UPP
"A primeira madrugada após a ocupação do Morro da Mangueira, na Zona Norte, pelas forças de segurança do Rio para a implantação da 18ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), na manhã de domingo, foi de tranquilidade. Policiais civis e militares reforçaram o policiamento nos principais acessos a comunidade e ao Morro do Tuiuti."
(Fonte: jornal "O DIA")
********************************************
Pequena história do berço do samba


Francisco de Paula Negreiros Saião Lobato, o Visconde de Niterói,amigo pessoal de D,Pedro II recebeu como presente do Imperados terras conhecidas como "Morro dos Telégrafos" vizinhas à Quinta da Boa Vista,onde residia a família real
Em 11 de maio de 1852, foi instalada ali próxima uma fábrica de chapéus que pertencia a Fernando Fraga e logo ficou conhecida como "fábrica das ,mangueiras"e,depois "Fábrica de Chapéus Mangueira".
A região era grande produtora de mangas aqui no Rio. A Estrada de Ferro Central do Brasil batizou de "Mangueira" a estação de trem inaugurada em1889. O local ao lado da linha férrea também começou a ser chamado de Mangueira, enquanto o antigo nome de Telégrafos permaneceu para identificar apenas uma parte do morro.
Nos nossos dias,Telégrafos, Pindura Saia, Santo Antônio, Chalé, Faria, Buraco Quente, Curva da Cobra, Candelária e outros são pequenos grupos populacionais, verdadeiros bairros dentro da comunidade. que formam o complexo do Morro de Mangueira.
O Visconde de Niterói era falecido quando os primeiros moradores instalaram os seus barracões e outros construíam moradias para alugar. Tomás Martins era padrinho do compositor e poeta Carlos Cachaça, que aos oito anos de idade já vivia no morro .O afilhado o considerava o verdadeiro fundador do Morro de Mangueira.
Carlos Cachaça assinava os recibos dos aluguéis porque Tomás Martins era analfabeto e se transformou em figura importante do lugar
**************
Em 1908,nos primeiros tempos da república,a Quinta da Boa Vista foi reformada e a prefeitura do Rio demoliu as casas dos soldados do 9° Regimento de Cavalaria.
Muitos militares se mudaram para o Morro da Mangueira e o incêndio que em 1916 destruiu casebres do Morro de Santo Antônio, no centro da cidade,aumentou a população local e fez surgir a comunidade de pobres e negros descendentes de escravos,trazendo suas manifestações culturais e religiosas.

*********
"Exaltação à Mangueira e "Tem Capoeira"
http://www.youtube.com/watch?v=v2X5yv_-qo8
***************************************************************.

Nenhum comentário: