domingo, 15 de novembro de 2009

Baixou o Gene Kelly

                          
                                     (15 de novembro, 2009)
O Departamento de Compras nunca foi minha especialidade e me lembrei ,com muitas saudades da Mãe, primeiro aflita, depois altamente decepcionada com a descendência, ao ajudar a desfazer inúmeras malas de inúmeras viagens a inúmeras procedências
Em lugar dos perfumes e modelitos de grifes saíam obras esotéricas e sobre OVNIS,cartazes, folders  e livros pesadíssimos de exposições,incensos,baralhos de Tarot. E os presentinhos dela, claro.
Assim sendo, que me perdoem os consumistas,mas este outro domingo foi dedicado primeiro a uma feira de artesanato e antiguidades em Montparnasse e,depois,aos straßenkunst,artistas de rua.E o ninho deles é Montmartre.
Hollywood descobriu isso e explorou bastante o gênero no pós-guerra.

Saindo do metrô diretamente na Place des Abasses,havia uma bonequinha americana-uma Barbie ao vivo- e seu bonitão francês que tocava um teclado com carinho,se bem que a bateria- vez por outra- pifava e a Barbie tinha que continuar a capella. E foi a cappela que cantou um "Hino ao Amor" de arrepiar, provavelmente no mesmo local onde Piaf foi descoberta.Também dançava um charleston com muita graça.Deu lugar a um grupo de capoeira da terra.E a um octeto de jazz ótimo e assim seguiu o passeio.
Fomos andando sentindo a música nos seguir,ou nós é que seguíamos a música?
Lojas?umas poucas, além das habituais para turistas
Subindo pelo funiculaire, a gente desembarcou quase em frente à escadaria da Basílica que preferi ignorar dessa vez porque, na imensa e larga escadaria em frente, um negro estiloso cantava repertório super sofisticado e-imaginem-comandava a massa, dividindo o coro entre vozes masculinas e femininas,à la Simonal dos velhos tempos de paz.
E cantava Bob Dylan,Peter Paul & Mary,os Stones,Bob Marley..nossa... foi mágico participar daquilo.
E no meio da multidão, alguém avisou que certo Christopher fazia aniversário.Ele desceu super encabulado com seu baseadinho (ou cigarrinho feito à mão) na orelha esquerda e ouviu um Happy Birthday to You  que,certamente,vai lhe ficar inesquecível, regido pelo moço afrodescendente.
Terminado o concerto ao ar livre (começou a chover e está escurecendo em torno das 4 e meia da tarde),ao colocar minha colaboração no chapéu perguntei, por curiosidade, se no repertório dele havia bossanova."Não há" ..e ele continuou, eufórico:" "Brasil?? Brasil??Fio Maravilha??? (sic) Vou tentar aprender" João Batista de Sales, o Fio Maravilha ( 1945-) é um ex-futebolista brasileiro. Defendeu o Flamengo e,nos Estados Unidos,jogou pelo New York Eagles, Monte Belo Panthers e San Francisco Mercury e,a essas alturas,deve continuar entregando pizzas em San Francisco (ou L.A.?), depois de -bobamente- ter processado Jorge Ben pelo "uso indevido de seu nome" na canção que o fez tão,mas tão,tão,tão conhecido que uns vinte anos depois é associada diretamente ao nome do Brasil pelo cantor de rua.
Você desce a montanha a pé, porque pra baixo todo santo ajuda e para em frente ao " Lapin Agile" (f).que ainda funciona diariamente -menos domingo- e onde Picasso desenhava nos guardanapos em troca de um prato de sopa e onde também faziam ponto,através dos tempos,Modigliani, Apollinaire, Utrillo

 Nesse instante você entende o porque de Gene Kelly,Leslie Caron,Oscar Levant e o elenco do filme terem 'baixado' ali mesmo e a vontade que me deu de sair dançando pelas escadas, esquinas e praças.
Oh la la la!!   ************************************************************************************

3 comentários:

Anônimo disse...

Amei tudo mas o OH LA LA LA foi especial! Saudades, The! (Snif! Tô com problemas aqui, o IE não abre o login do meu blog...não posso postar nada! grrrrrrrrrrr) Beijos. Esperando você. Boa viagem!

Vera Vieira

Thereza Pires disse...

pode preparar o feijão preto que eu tô voltando..
Beijos, querida Vera

Thereza Pires disse...

pode preparar o feijão preto que eu tô voltando..
Beijos, querida Vera