segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

"Não me leve a mal,hoje é carnaval"

 Sean Peann  (que ontem recebeu Oscar de melhor ator por "Milk") e Bidu Sayão, a maior cantora lírica brasileira  (enredo da Beija Flor de Nilópolis em 1994)

(23 de fevereiro,2009) 

  Nas cenas finais de “Milk”,Sean Peann/ Milk Harvey-uma incorporação- conta que se emocionou muito quando, na juventude, ouviu pela primeira vez Bidu Sayão.A citação passa super batida,mas eu desejo registrar aqui.Não percam o  filme. É uma elegia aos direitos humanos, repetida por Penn em seu discurso de agradecimento na festa de ontem.

Balduína de Oliveira Sayão.a Bidu, nasceu no bairro de Botafogo-Rio de Janeiro,em 11 de maio de 1902,numa família de bom nivel cultural,mas sem grande fortuna.
Quando o pai morreu,Bidu tinha 5 anos e a mãe fez grandes esforços para levar adiante a carreira da menina, como cantora de operas,desde cedo configurada.

Aos 18, debutou nos palcos do Rio e a bela atuação deu-lhe a oportunidade de estudar com Elena Teodorini,primeiro no Brasil,depois na Romênia.Mais tarde, o renomado tenor Jean de Reszke,tornou-se seu tutor.
Nas décadas de 20 e 30 do século passado,cantou regularmente na França, Argentina e na Itália,sempre voltando ao Brasil.No Teatro Constanzi,em Roma, conheceu o empresárioWalter Mocchi (1870-1955),primeiro marido,de quem logo se separou

.Em 1935,novo casamento, com o barítono italiano Giuseppe Denise (1883-1963). Bidu cantou no Teatro Scalla (Milão),na Ópera de Paris e iniciou a  carreira americana -uau!- cantando"La demoiselle élue' de Debussy,no Carnegie Hall,sob a batuta de Arturo Toscanini. 

Foi  a cantora favorita de Heitor  Villa Lobos,com quem fez famosa parceria musical, incluindo a gravação das "Bachianas Brasileiras No. 5". Bidu Sayão e  Giuseppe Danise  compraram uma casa diante do mar, em  Lincolnville.
Depois de 15 anos no Metropolitan,em Nova York,Bidu continuou cantando nos Estados Unidosl,mas em 1957 encerrou a carreira como soprano solista com a  primeira gravação em estereo  da "Sinfonia do Ar",de Villa Lobos,com regência do compositor.
Em 1994,aos 92 anos, foi homenageada (e participou do desfile)pela escola de samba Beija Flor de Nilópolis com o enredo "Bidu Sayão e o Canto de Cristal" Em  2000,foi instituída a"Competição Vocal Internacional Bidu Sayão"para promover talentos brasileiros de canto.
Bidu morreu em sua propriedade, no Maine,no dia 12 de março de 1999. A casa da Praça Tiradentes 48, no coração do Rio,onde Bidu morou,foi recentemente inaugurada depois de restaurada, dentro do projeto "Monumenta" em parceria com a Prefeitura do Rio.(foto da matéria do "GLOBO" de hoje).
"Deseja-se que seja destinada `a ABAL -Associação Brasileira dos Artistas Líricos,porque A entidade foi fundada em 1932, a partir de um movimento classista liderado por ela",declara o produtor Fernando Bicudo,atual diretor da ABAL. ****************************

Um comentário:

Anônimo disse...

Mulher,que senso de oportunidade..
Só vc mesmo pra juntar tudo numa bela matéria
Congratulations aqui de longe
Melissa