segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Os Protocolos Dos Sábios do Sião

  



  
Exemplar dos "Segredos dos Sábios de Sião", a primeira e única versão conhecida dos "Protocolos dos Sábios de Sião" a ser publicada fora da Rússia. Publicada em Charlottenburg, Alemanha, 1920.

(fonte da imagem e da legenda: site do Museu do Holocausto)

***************************************************************


Este documento constando de 24 textos,elaborado em Paris sob encomenda da Okhrana, a polícia secreta do Império Russo, foi redigido em 1901 por  Mathieu Golovinski (foto ao lado) um informante e falsificador.
O objetivo era fazê-lo chegar às mãos  do czar Nicolau II para forçá-lo a tomar medidas antissemitas.

Tenta mostrar  um plano de conquista do mundo pelos judeus e franco-maçons.
O czar se recusou a utilizar os "protocolos" como instrumento de propaganda e logo descobriu a farsa.

Golovinski usou como inspiração (ou plagiou, segundo alguns historiadores)  O "Diálogo no inferno entre   entre Machiavel e Montesquieu" de Maurice Joly, um panfleto que descrevia um plano -fictício e totalmente satírico- para concretizar  as conquistas de Napoleão III.
Os textos,uma espécie de resumos de reuniões secretas, insinuavam que havia um plano a ser posto em prática por um conselhos de sábios judeus para aniquilar o cristianismo e dominar o mundo.
Este plano usaria  violência.guerras e revoluções,os princípios do capitalismo e a modernização da indústria e para instaurar um poderio judaico.

*************
Adolf Hitler fez referência aos "Protocolos"  na  sua obra "Mein Kampf",para embasar  absurdas teorias e dar os primeiros passos em direção ao Holocausto.
Em nossos dias, "Protocolos dos Sábios do Sião" é o símbolo do antissemitismo e da mistificação.

*********************************

2 comentários:

BR disse...

Apenas a título de curiosidade, vale a pena destacar que Henry Ford passou, --- salvo engano, no decorrer da década de 20 --- a publicar no "The Dearborn Independent" --- jornal que lhe pertencia --- diversas passagens dos "Protocolos", o que, mais tarde, deu origem à sua obra "The International Jew: The World's Foremost Problem", a qual --- por simples curiosidade [mórbida], é bom que se diga --- acabei adquirindo e lendo [edição de 2003, Kessinger Publishing].
Inclusive, como se sabe, não só Hitler, mas como tb Goebbels, por razões óbvias, foram grandes entusiastas de Ford.
Por fim, apesar de não menos importante, cabe a seguinte indagação: Como um próspero empresário, grande empreendedor, pôde enveredar por caminhos tão sinistros e irracionais, ao contrário de toda a sua cartesiana trajetória empresarial??
Bjs,
BR

Thereza Pires disse...

Pois é, BR...são os mistérios, as sombras .
Obrigada pelo sempre lúcido e esclarecedor comentário.
Vou acrescentar o limk dos textos dos 24 protocolos
Abrs,
Thereza