terça-feira, 26 de julho de 2011

Man Ray

O filme "Meia noite em Paris" de Woody Allen ainda rende crônicas, comentários e é chegada minha vez de registrar a presença do fotógrafo surrealista no roteiro do querido diretor e produtor.
A semelhança física entre o ator  e  Man Ray na juventude,mais uma vez, é impressionante.

************



“Despreocupado, mas não indiferente
 Emmanuel Radnitsky (ou Radnitzky), conhecido como Man Ray, nasceu na Filadélfia (USA) em 27 de agosto de 1890, mas a família logo mudou-se para o Brooklyn e encurtou o sobrenome para Ray.

O jovem - por seu lado - também facilitou as coisas passando a se assinar Man Ray, mais universal e eufônico.Pintor, designer, diretor de cinema de vanguarda e, sobretudo, um fotógrafo surrealista - atividade que  abraçou em 1918 e exerceu até  o fim da vida. 
Interessado pela arte moderna frequentou desde cedo ateliês e fez cursos de arte gráfica nos arredores de Nova York. Ali Man Ray encontrou o artista francês Marcel Duchamp e o espanhol Francis Picabia, com quem desenvolveu vários projetos, inclusive as bases do dadaísmo, que surgiu na Europa para rejeitar a arte tradicional  e cujo centro emissor foi  a Galeria 291,Vivendo em Nova York,  foi, junto com o amigo   Marcel Duchamp, o braço americano  deste movimento.
Em 1920, depois de algumas tentativas profissionais malsucedidas Man Ray concluiu que não havia espaço para o Dadaísmo nos Estados Unidos e foi viver em Paris, para  trabalhar com a liberdade de que tanto necessitava.  Ali conheceu e se apaixonou pela cantora,modelo,pintora e agitadora cultural Kiki de Montparnasse, que imortalizou em fotos.


Man Ray esteve presente na primeira exposição surrealista da Galerie Pierre (Paris), em 1925, onde também expuseram Jean Arp, Max Ernst, André Masson, Juan Miró et Pablo Picasso.


Insatisfeito com as reproduções de seus trabalhos, comprou uma câmera para que pudesse reproduzir suas obras com uma técnica superior a dos fotógrafos da época.


Abandonou o uso de pincéis,preferindo experimentar outras técnicas.  Com o aparecimento das pancromáticas, que possibilitavam fotografar em preto e branco conservando as nuances das cores, Man Ray passou à categoria de verdadeiro mestre em fotografar pessoas, especialmente rostos.


Personalidades de destaque em todas as áreas estão presentes em sua obra, assim como o mundo da moda e paisagens urbanas.


Man Ray, um pintor renomado, é considerado um dos pioneiros da fotografia, tendo inventado a  técnica do raiograma, que consistia em tirar a fotografia sem a câmara fotográfica - o objeto ficava perto de um filme altamente sensível e diante de uma fonte de luz.
Totalmente experimentais, as obras  com raiograma - topo da modernidade de uma era -passaram a fazer parte da história da fotografia e do cinema. Fotogramas e solarizações trouxeram novas experiências visuais.
O exemplo clássico destas técnicas é a famosa obra 'Violin d'Ingres',onde Kiki de Montparnasse aparece nua com as costas decoradas como  um violino.

Revolucionou a arte fotográfica na Europa e retornou à terra natal para viver em Los Angeles. Mas  a estadia foi curta, apenas 3 anos. Voltou para sua querida Paris e ali viveu até 18 de novembro de 1976.
Entrerrado no cemitério de Montparnasse, o visitante pode perceber  em seu epitáfio uma verdadeira profissão de fé:   

“Despreocupado, mas não indiferente”






******************************************
Man Ray ao som de Donizetti





Clique aqui

***********************************************************************************************




Um comentário:

Anônimo disse...

Para e Historia da arte, principalmente da fotografia, Man Ray teve importancia fundamental influenciando toda uma geracao de artistas, sua colaboracao foi infinitamente preciosa e seu trabalho ja faz parte do canone dos gigantes da arte.
Emanuel Alieksiei.