segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Combo Cultural de Primavera em Sampa III-Fim-Pinacoteca do Estado


Estúdio de Arte Irmãos Vargas- A Fotografia de Arequipa,Peru: 1912/1930


No final do século 19 e início do século 20, a fotografia peruana viveu uma época de ouro,com grandes estúdios em Lima e Cusco.
Arequipa,rodeada de vulcões, esteve afastada do resto da serra peruana, conservadora e tradicional e nela floresceu uma sociedade bem mais aberta para as novidades trazidas pela tecnologia da época.

Nas últimas décadas do século19,o Peru recebeu grande influência estrangeira e Arequipa, pela sua situação geográfica, se transformou em grande polo de mineração e comércio de lãs.
Grandes fortunas se formaram e surgiu a demanda de bens de luxo,como nas capitais européias.Mansões decoradas com móveis modernos,os ricos vestidos na última moda do velho continente: tudo isso devia ser retratado, com as novas técnicas surgidas
`
A nova burguesia utilizava dois estúdios fotográficos: o de Emilio Díaz e o de Maximiliano (Max)Vargas,este último o mais bem sucedido.
.
Os irmãos Vargas,que não tinham parentesco com Max, nasceram em Arequipa em tempos não muito prósperos: Carlos em 1885 e Miguel em 1887. Fabricaram sua primeira máquina usando talento ambição e muito trabalho.
Em 1900 foram admitidos no estúdio de Max,onde destacados artistas haviam trabalhado
En 1912,os irmãos abriram seu próprio negócio, um êxito desde o início que durante vinte anos manteve grande prosperidade.
Organizaram 16 exposições para exibir seus melhores trabalhos que apareciam nas melhores revistas nacionais e estrangeiras da época e intensificaram vínculos com artistas e intelectuais.
Os irmãos supriam a carência de museus e galerias expondo trabalhos de pintores e caricaturistas.
A fama crescente trouxe o reconhecimento na América do sul e Europa. En 1925 ganharam medalhas de ouro no Salão de Arte Fotográfica de Buenos Aires ,na Exposição do Centenário da Independência da Bolívia e, em 1928,na Exposicão de Sevilha.
A depressão econômica de 1929 também sacudiu os Andes,trazendo a falência aos brilhantes socialites que sustentavam o Estúdio de Arte Irmãos Vargas.
Uma clientela mais simples menos pretensiosa fez a fotografia, antes um luxo, ficar ao alcance de qualquer simples mortal. As cenografias elaboradas ficaram para trás e as poses inspiradas ficaram mais populares e comerciais.
O estúdio funcionou em Arequipa até 1958,quando a empresa familiar se dissolveu.
Setenta e cinco obras desses artistas estão expostas na Pinacoteca de São Paulo
**********************************
A exposição integra o calendário cultural de atividades paralelas à 29ª Bienal Internacional de São Paulo, que acontece entre os dias 20 de Setembro e 10 de dezembro de 2010. "A Fotografia de Arequipa, Peru 1912/1930" ficará aberta ao público de 18 de Setembro de 2010 à 07 de Novembro de 2010, de terça a domingo, das 10h às 17h30, com permanência até as 18h.
A classificação etária é livre. Os ingressos custam R$ 6,00 (Inteira) e R$ 3,00 (Estudantes) e aos sábados, a entrada é gratuita para todos.
A Pinacoteca do Estado de São Paulo está localizada na Praça da Luz, 02 Centro.
Mais informações pelo telefone (11) 3324-1000.
(divulgação)
**************************************************************************

Nenhum comentário: