sábado, 22 de maio de 2010

Lançamento editorial-"Crônicas de um bipolar"


"Marcelo Diniz, o bipolar autor destas crônicas, aliviou-se ao descobrir uma extensa lista de célebres figuras bipolares como Salvador Dalí, Beethoven e Isaac Newton. Se entre os seus semelhantes há tantos donos de currículos invejáveis, pensou ele, nem tudo está perdido. E é justamente esse sentimento de alívio que Marcelo transmite ao tirar de foco os aspectos depressivos da doença e expor, por meio de textos acessíveis e divertidos, a excêntrica rotina regida pela bipolaridade."
(release da Editora Record)
*************
Além de minimizar os aspectos negativos da situação e assumi-la publicamente,o que é um gesto de extrema coragem e coerência, o publicitário Marcelo Diniz embarca com o leitor numa viagem no tempo.
Em 1980, ao ler numa revista semanal os fatos mais importantes da década que se iniciava,encontrou a menção ao cometa de Halley, que deveria estar visível no final de 1986.
A última passagem do Halley tinha sido em 1916,quando sua cauda ocupou 2/3 do céu,causando medo e deslumbramento e as previsões para 86 indicavam algo semelhante .
Marcelo (foto)largou um emprego seguro e se lançou de cabeça,bem bipolarmente,no projeto de comercializar- em todas as instâncias-o evento único.

(Na próxima "visita" o ponto de maior aproximação será em 9 de abril de 2062.E a 68 milhões de km da Terra, com a magnitude estimada de 4.4, suficiente apenas para ver a olho nu de local escuro (fora da cidade),informa o software "Cartes du Ciel".)

Acontece que o cometa desmentiu os astrônomos e fez um no show, ou quase. Foi observado no céu como uma mera bolinha de algodão e, mesmo assim, com ajuda de telescópios.

Marcelo perdeu praticamente tudo: seu cinematográfico apartamento no Alto Leblon,o padrão de vida conquistado durante décadas de trabalho árduo e-o que é mais grave-a autoestima.
Usou o transtorno bipolar como medicamento e deu a volta por cima.Curou a doença com a doença,tipo homeopatia da alma.
Bastaria essa aventura com todos seus desenvolvimentos bem detalhados nas "Crônicas" para justificar a edição, a compra,a leitura,a releitura e um lugar de destaque na sua estante.
Mas existem outros relatos muito úteis e confortadores para as "metamorfoses ambulantes" e para aqueles que se consideram pessoas "normais".

Um comentário:

Crônicas de um bipolar disse...

Muito obrigado pela sua crítica, Thereza. Jamais pensei que pudesse chegar a um lugar de destaque na estante de alguém.

Se quiser trocar idéias, marcelocpdiniz@uol.com.br

Abs,
Marcelo