sexta-feira, 26 de agosto de 2016

FEk 21 anos-3- Programa para público infantil-Concertinhos de Eva

**************

Parabéns Fundação Eva Klabin,pelos 21 anos de serviços prestados à arte e cultura !

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

domingo, 21 de agosto de 2016

Gêngis Khan lançou bases da globalização no século 13

 Texto publicado no site Opinião e Notícia

 *****

 

"O conquistador mongol que ligou o mundo ocidental ao oriental de forma nunca antes vista morreu em 1227"




Morre Gêngis Khan 
"Seu nome verdadeiro era Temudjin (Foto: Wikimedia)
Em 18 de agosto de 1227, morre Gêngis Khan, lembrado como um conquistador bárbaro e cruel que dominou toda a Ásia, o Oriente Médio e a Europa Oriental no século XIII.
Ele foi basicamente o homem que lançou as bases da globalização ao ligar o mundo ocidental ao oriental de forma nunca antes vista.
Seu nome verdadeiro era Temudjin. Não há um consenso sobre sua data de nascimento, alguns dizem que foi no ano de 1155, outros dizem que foi em 1167. 

Durante seus primeiros anos, ele viveu com sua família. 

Aos nove anos, perdeu o pai, assassinado pelos tártaros, o povo mais feroz da Mongólia. Como foi abandonado pela sociedade local por conta da morte do pai, Temudjin, sua mãe e seus irmãos foram viver nos montes Kentai, na Mongólia.
Quando casou, ele ficou sob a proteção da poderosa família da noiva, os kereyt, turcos cristianizados. Em poucos anos, Temudjin se impôs e adquiriu ascendência considerável sobre os que falavam sua língua, o mongol. 
Em 1202, vingou o pai vencendo os tártaros e obrigando-os a servi-lo.
Em 1206, uma assembleia plenária das tribos elegeu Temudjin chefe de toda a Mongólia oriental, com o título de “chefe oceânico”, o Cinggis Kaghan, na língua mongol. 

O Ocidente o transformou em Gêngis Khan.
Ele fundou o maior império da história em extensão contínua de terra. 

 Ele e seus sucessores só não conquistaram a Europa ocidental, a África, as Índias e as ilhas da Ásia oriental. Mas conquistaram todos os outros territórios entre o Pacífico e o Mediterrâneo.
Gêngis Khan morreu, durante uma campanha, no dia 18 de agosto de 1227, sem conhecer uma parte do território que seus homens conquistaram."

*****************************

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Olympe de Gouze-feminista na Revolução Francesa e mártir

 
A voz das francesas oprimidas

Durante os fatos que culminaram com a Revolução Francesa,as principais manifestantes eram tricoteiras, pequenas comerciantes do Mercado Les Halles e pedintes. 


Todas elas revoltadas contra a miséria em que viviam,contrastando com a opulência do regime vigente,mas sem voz ativa.

Umas poucas,conscientizadas da oportunidade de combater pelos seus direitos,deram a seus atos a dimensão de militância feminista.
Ai surge uma personalidade marcante:Olympe de Gouzes que liderou movimento por uma vida mais digna para a mulher ,envolvendo-se nas  atividades revolucionárias (1789) e participando das sessões da Assembléia Nacional.  

*****************
Nascida Marie Gouze, em Montauban,perto de Toulouse( sul da França),em 1748, pensava-se ser a filha do acougueiro da cidade.
Mas o pai era Lefranc de Pompignan,um nobre influente.Casada aos 16,logo ficou viúva. O que,para a época, era obter um certificado de liberdade.
Mudou-se para Paris,adotou o nome de Olympe de Gouzes, que lhe pareceu mais aristocrático e,embora sem cultura formal ,começou a ditar peças de teatro para seu secretário,logo encenadas pela Comedie Française, o teatro oficial que certificava os dramaturgos.Este aval era sempre necessário mas, no caso de Olympe,indispensável.por se tratar de mulher sensível às injustiças,atenta aos acontecimentos políticos,econômicos e sociais.
Era militante da causa da igualdade de sexos ,mas sempre por meios pacíficos,sem jamais se juntar aos ativistas enraivecidos da Revolução. 

 Parodiou a Declaração dos Direitos do Homem, na Declaração dos Direitos da Mulher, cujo artigo 1 era “a mulher nasce livre e equiparada ao homem em seus direitos” e o artigo 3 “o princípio de toda soberania reside essencialmente na Nação que nada mais é do que a reunião da Mulher com o Homem".
A sociedade não acompanhou os seus passos e, transformada em perigo para as instituições pelas quais tanto batalhou,foi capturada na rua por homens da confiança de Philippe d'Orléans,primo do  Rei e guilhotinada (1793) pelo crime de pedir o direito de subir a tribuna para representar as mulheres  de seu tempo.
*****************************************************************************************
         

sábado, 13 de agosto de 2016

Fidel Castro-90 anos


 

 " Fidel Castro discursou para 1300 militantes em congresso do Partido Comunista, em Havana. Ele falou, sentado, sobre morte e o legado da revolução.
“Em breve, vou estar com 90 anos de idade”, declarou. “A hora de todo mundo chega”. 
Fidel, famoso pelos inflamados discursos no mesmo local, desta vez falou baixo e pausadamente, devido à fragilidade de sua saúde.
“Talvez seja uma das últimas vezes que falo nesta sala”, disse. 
Ele defendeu o regime que conduziu por 47 anos, declarando que “as ideias dos comunistas cubanos permanecerão como prova de que, neste planeta, se você trabalhar duro e com dignidade, pode produzir bens de que os seres humanos precisam”.

*************


A História o absolverá?
***********
Fidel Alejandro Castro Ruiz nasceu pesando 5,4 kg em 13 de Agosto de 1926, na província de Oriente, próximo a Santiago. Não foi logo reconhecido pelo pai.
Alguns historiadores sustentam a hipótese de que o ódio aos ricos está embasado na sua  vida  pessoal.
Angel Castro, ex-recruta das tropas espanholas na guerra de independência cubana, fascinou-se com a Ilha e resolveu lá se estabelecer.
Tornou-se proprietário de fazendas de cana de açúcar e madeireiro,em Birán
A mãe,Lina Ruz Gonzales,era uma camponesa migrante do Oeste de Cuba.
  • Como seus 4 irmãos e irmãs, Fidel recebeu educação católica no Colégio La Salle(onde aconteceu o emblemático e premonitório ataque a dentadas ao braço do Padre Diretor .
A partir de 1942 estudou num colégio de jesuitas em Belén, tomando gosto pelos esportes. Em 1944 foi considerado o melhor atleta de sua escola,foi "cestinha" campeão de basquete.
Leitor compulsivo,Fidel devorava textos de Jose Marti (escritor,poeta,jornalista, panfletário,herói da Independência de Cuba). 

Em 1945, estudante de Direito em Havana,se juntou a um grupo de militantes pela justiça social, os "Manicatos" (Valentes).
Dois anos depois se aliou ao movimento "Ortodoxo", para apoiar a população de Havana nas suas reinvidicacões a favor de condições de vida mais justas
Em 1949 , Presidente da Federação dos Estudantes Universitários, viaja a Bogotá, como delegado cubano ao 9o Congresso Panamericano de Estudantes.
 
Neste mesmo ano,terminando o curso,com 3 títulos de Mestrado, casa-se com Mirta Diáz-Balart,filha de família ligada à ditadura. (foto ao lado)
Fidel abre seu escritório de advogado em Havana e se dedica à defesa dos pobres.

As Eleições de 1952

Em agosto de 1951, Castro começa a discursar em público,mobilizando as massas e chamando os cubanos à revolta contra a opressão governamental.
A ilha,independente da Espanha desde 1902 mas ainda não democratizada, continuava sob a influência do possante vizinho:os Estados Unidos.
A situação econômica era muito difícil, e a corrupção considerada "endêmica".
O Partido Ortodoxo o escolheu como candidato à Presidência em1952 .
O pleito ,porém, não aconteceu: em 10/3/1952 o sargento Fulgencio Batista toma o poder,obtendo,logo em seguida, o reconhecimento do governo norte-americano. No dia seguinte fecha o Parlamento e suspende as eleicões.

Começa a carreira política de Castro, que vai-sem sucesso- aos tribunais, para tentar invalidar o golpe de estado,acusando o ditador de violar a Contituição.
É então que, desiludido, se dedica à revolta armada,lançando dois jornais : "El Acusador" e "Son los mismos",logo empastelados pelo serviço secreto de Batista
Cuba vira o playground dos americanos ricos.
Havana, a capital panamericana da prostituição.
Os donos de cassinos reinvestem seus lucros, para lavar o dinheiro sujo.
 cerca de 1951
O escritor Jorge Valls, estudante na época, descreve a atmosfera reinante: "Havana era um verdadeiro frenesi de vida noturna e diversão.
Os cabarés estavam entre os melhores do mundo,gastavam-se fortunas nas roleta, carros de luxo cortavam as ruas da capital,enquanto nos campos reinava uma terrível miséria".


O ditador e sua jovem esposa Maria Luisa personificam a imagem viva do país:usando roupas luxuosas, colecionavam objetos antes pertecentes a Napoleão Bonaparte.
No dia 26 de Julho de 1953 Fidel Castro e seus companheiros atacam o quartel de Moncada, em Santiago:ação suicida do ponto de vista tático, grave fracasso.

Fidel usa o processo em que é indiciado para fazer sua própria defesa, propagando novas idéias num manifesto chamado "A História me absolverá", transformado em programa político.
A intervenção do Arcebispo de Havana o livrou da execução. Foi condenado a quinze anos de prisão.

Dos 160 rebelados 70 são presos, torturados e mortos . Consciente da importância de seu papel nesta fracassada tentativa, Fidel capitaliza a notoriedade adquirida,certo de que vai ser o dirigente da Revolução.
Batista rebate organizando eleições presidenciais para Novembro de 1954, quando é declarado vencedor.

"Patria o Muerte"
Em 1955,pressionado pela oposiçao,Batista concede anistia aos prisioneiros.
Saindo da cadeia em 15/5/54 , depois de recolher fundos na Flórida e discursar em público para expor suas idéias,Fidel Castro viaja para o México.
A partir dali ,opera um movimento de oposição e cria seu símbolo:a bandeira vermelha (pelo sangue derramado) e negra (pelo luto).
Em 2/12/56 Castro e mais oitenta e um companheiros desembarcam em Oriente, a bordo do iate Granma.
O grupo ataca o palácio presidencial em 13/3/57,mas acontece novo fracasso.
E nova repressão sangrenta. Martha Frayde, ex-revolucionária declara em entrevista ao Paris Match : "o povo não estava a favor da violência, mas também não estava a favor de Batista".
O governo americano fazia vista grossa,os cassinos se multiplicavam, o night club Tropicana vivia lotado,o Hotel Hilton entra em obras para agregar novos andares, ,o "Bodeguita²-onde Hemingway vinha beber seus "mojitos" é o point de estrelas de Hollywood.
Os doze barbudos de Castro, derrotados, começam a escalada para o poder, organizando na Sierra Maestra a primeira guerrilha.Seu slogan "Patria o Muerte".

O sequestro de Fangio
 Fidel e Che Guevara
Com objetivo de chamar a atenção da opinião pública mundial, a Revolução sequestra o corredor argentino Manuel Fangio durante 24 horas.
Os rebeldes, nesse momento, setornaram conhecidos, ocupando vasto espaço na mídia. 

Em 1958 o fracasso da greve geral que faz 200 mortos acelera o processo da vitória. Fidel Castro e seu irmão Raul descem para Santiago no meio do mês de Dezembro.

Ernesto "Che" Guevara comanda as ações em Santa Clara, que é tomada na noite de Natal. 31 de dezembro de 1958 : Batista foge para Santo Domingo, levando toda a fortuna acumulada.

Os especuladores americanos deixam Cuba.


Em 8 de janeiro de 1959 Fidel Castro entra em Havana.
******

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Durante a Olimpíada o "Abaporu" está no MAR (Museu de Arte do Rio)

Museu de Arte do Rio

















Abaporu-1928

 









Tarsila
Abaporu  é  nome de origem tupi-guarani que  significa "homem que come gente" aba (homem), pora (gente) e ú (comer),canibal ou antropófago
 A tela, pintada por Tarsila em 1928, foi presenteada a   seu marido, o escritor Oswald de Andrade.
 
Tarsila do Amaral foi pintora e desenhista e uma das 


figuras centrais da primeira fase do movimento 

modernista brasileiro. 



Capivari, 1 de setembro de 1886
São Paulo. 17 de janeiro de 1973.
 
*****************

"O Abaporu está para o Malba assim como a Mona Lisa está para o Louvre "

Em 2006, num depoimento à revista VEJA,o milionário e mecenas  Eduardo Costantini, casado com uma brasileira, contou que criou o Malba, em Buenos Aires para expor sua coleção particular de arte latino-americana.  As então 300 obras do acervo valiam 50 milhões de dólares. 

   Explicou,na matéria,que comprou o ABAPORU,da modernista brasileira Tarsila do Amaral em um leilão em Nova York, em 1995.   
Um colecionador havia tentado durante seis meses vendê-lo no Brasil, batendo à porta de museus e de famílias ricas. 


Ninguém queria.  

Depois, a própria pessoa que vendeu o Abaporu, um operador do mercado financeiro,ligou do Brasil querendo comprá-lo de volta,dizendo se que um grupo de empresários brasileiros desejava a repatriação do quadro. 


Conclui Constantini :"O Abaporu é a obra mais importante do Brasil e tem um valor cultural e pictórico inestimável. Eu respondi que não. 
Abaporu está para o Malba assim como a Mona Lisa está para o Louvre. 

Muitos brasileiros vêm ao Malba só para ver a pintura."

**************
Album de slides

http://www.slideshare.net/Nancihorta/imagens-de-tarsila-do-amaral

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Agosto na Fundação Eva Klabiin - 2 -Samba Em Família

Samba em tempos de Olimpíada! Tudo a ver!

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

domingo, 31 de julho de 2016

Novo filme sobre James Dean

LIFE- Um retrato  da vida de James Dean


"Às vésperas do lançamento do filme "Vidas Amargas" (1955), James Dean (Dane DeHaan) ainda não é um ator famoso. Os estúdios têm grandes planos para transformá-lo em um astro, mas ele não se sente à vontade com a vida de festas, eventos e autógrafos. O fotógrafo Dennis Stock (Robert Pattinson), apostando no sucesso iminente de James Dean, pede para fotografá-lo em um ensaio para a revista Life, mas recebe apenas respostas negativas. Um dia, para fugir da promoção de "Vidas Amargas", Dean esconde-se na fazenda de sua família, e leva o novo amigo Stock junto dele. Neste local, o fotógrafo registra as imagens mais famosas de toda a carreira do ator."

 
Título original Life

Distribuidor  PARIS FILM
(do site www.adorocinema.com)  

Trailer
http://www.adorocinema.com/filmes/filme-222465/trailer-19549517/

********************* 




 


JAMES DEAN: viveu rápido demais e morreu cedo demais.

  61 anos  sem o rebelde sem causa.

“Ele TEM que estar nos vendo”, foram as últimas palavras de  James Dean ao carona  no banco ao lado - o mecânico Rolf Wüterich - antes da colisão de seu Porsche com um carro dirigido pelo estudante universitário Donald Turnupseed, quase cego pelo sol que batia direto  no parabrisa.

A caminho de uma corrida em Salinas, California, a viagem e a vida acabaram para Dean em 30 de setembro de 1955 na estrada deserta.

O mecânico e Turnupseed sobreviveram. 
Aos 24 anos, Dean morreu numa ambulância a caminho do hospital. As investigacões policiais  concluíram que tudo  foi uma fatalidade. 

O ator mais famoso de seu tempo, que mudou os rígidos conceitos  sobre a masculinidade, havia gravado duas semanas antes uma campanha publicitária sobre segurança no trânsito, cujo slogan era” "Drive carefully, the life you save may be mine" ( dirija com cuidado, a vida que você vai salvar pode ser a minha). 

***

James Byron Dean nasceu em 8/3/1931 em Marion, Indiana, filho  único de Winton e Mildred. 
A mãe  morreu quando ele completou nove anos, sendo  o pequeno  enviado aos avós, que se encarregaram de sua criação.

Desde os tempos da Fairmount High Schol, jogava basquetebol, praticava ginástica olímpica e atuava em peças estudantis.

Em 1951, viajou para Nova York e se matriculou no Actor’s Studio de Lee Strasberg. Apesar de ser um aluno relapso, desenvolveu técnicas pessoais de atuar, sendo comparado aos grandes nomes da época, como Montgomery Clift e Marlon Brando.



Fama em cinco dias


Trabalhou em comerciais de televisão e participou, como ator coadjuvante, da peça See the Jaguar de Richard Nash, que ficou em cartaz apenas 5 dias.

Tamanho era o talento de Dean, interpretando o adolescente filho de mãe possessiva, que esta pequena exposição acabou rendendo, em 1954,  um papel na Broadway. 
Interpretou o árabe que seduz um turista britânico na peça “O imoralista’, de André Gide” 
Por este trabalho ganhou o prêmio David Blum  para novos talentos.



Rumo a Hollywood



Três semanas depois da estréia, deixou a equipe teatral por  um contrato irrecusável - filmar Vidas Amargas (East of Eden  – 1955), com Elia Kazan. 
Mesmo se desentendendo com o consagrado diretor, Dean deixou para a posteridade uma calorosa interpretação  do personagem Cal - protagonista do drama familiar baseado no romance de  John Steinbeck.

Em pouco mais de um ano, Dean construiu uma carreira no cinema, em três papéis diferentes, mas que tinham em comum   sua sedutora presença.

Fora das telas, estudava dança com Eartha Kitt, pintava quadros eróticos sobre touradas e disputava corridas de automóveis.

O romance com a  italiana Pier Angeli calou um pouco as fofocas  sobre sua sexualidade, mas a  atriz logo rompeu o relacionamento para se casar com o cantor Vic Damone.



Rebelde sem Causa



Juventude Transviada (Rebel without a Cause -1955), que chegou às telas após sua morte, foi um filme sobre alienação e medo, agregando um subtexto gay aos personagens protagonizados por Dean (Jim Stark) e Sal Mineo (Plato).

Ali nasceu o clichê de filho rebelde exibicionista, furioso que afronta a família para esconder uma profunda solidão. No entanto, nada mais é que um inocente em busca da própria identidade.


Sai o ator entra o piloto

O terceiro trabalho de James Dean foi o filme Assim caminha a humanidade ( Giant, de George Stevens – 1956). 

Nesta película, o personagem de Dean, Jett Rink, cumpre uma mirabolante  trajetória de fazendeiro a magnata do petróleo, um transgressor na juventude que  acaba em  inevitável declínio.  

Terminadas as filmagens de “Assim caminha a humanidade”, sai de cena o  ator James Dean dando lugar ao moço fanático por corridas  de automóveis e  torneios de velocidade. 

Viajando na cabine do caminhão plataforma que levava seu carro a Salinas,California, resolveu assumir o volante do Porsche 550 Spider número 130. 
Uma hora depois - nas proximidades  da  cidade de Cholame (EUA) -avistou o Ford Custom Tudor 1950, de Donald Turnupseed na contramão.  


Ali começou o culto obsessivo e fanático pela imagem de Dean, transformado em ícone e símbolo da cultura dos anos 50.

Viveu com pressa, morreu jovem, diz a canção “James Dean”, interpretada pela banda “The Eagles”  - um hit de 1974. 



Nos dois anos seguintes à sua morte, concorreu a dois prêmios Oscar póstumos  por “Vidas Amargas” e “Assim Caminha a Humanidade”.

Filmes, peças, documentários e imagens eternizaram  o carisma de James Dean. 

O Festival de Cannes de 2005  lembrou  o cinquentenário da morte  em   parceria com a  revista Variety,  com a exposicão ''Um olhar longo sobre uma vida breve'', nos corredores  do Palais du Festival. 

No início de junho daquele ano, 150 mil pessoas se reuniram na cidade natal de Dean - Marion, Indiana -  durante as festas de  inauguracão da maior  tela de cinema do mundo a céu aberto, que projetou documentário inédito e versões digitalizadas dos filmes de seu filho mais célebre. 



*******************************************************************************  Ouça a banda “The Eagles”  cantando “James Dean”(1974)