domingo, 5 de março de 2017

A Amazônia há 5 mil anos atrás



O passado não é mais como era  antigamente...  (parodiando Renato Russo)


**************

O jornal francês  Le Monde reproduziu, na terça-feira 4 de março, um instigante matéria sobre a Amazônia pré-colombiana. publicado na véspera na revista Science.

Nas florestas hoje consideradas "virgens", botânicos, ecólogos e arqueólogos avaliaram  1170  amostras,escavaram  3.000 sítios  e examinaram a 85 espécies de árvores utilizadas pelos antigos  nativos americanos na alimentação   (cacau,castanha ) e  para uso não alimentar (construções residenciais ou embarcações).

Mudou a visão sobre a Amazônia : povos pré-colombianos  ali viviam ,cultivavam  e utilizavam recursos da  grande floresta  com seus sete milhões de km² , 400 bilhões de árvores de 18.000 espécies diferentes .
Essa era a realidade durante vários séculos,antes de seu extermínio  pelo "choque microbiano", acontecido com chegada dos europeus e  que dizimou estas populações.


Stéphen  Rostain
 Depois de três décadas de trabalho e mais de 200 artigos publicados, Stephen Rostain (foto), arqueólogo do CNRS - o francês Centro Nacional de Pesquisa Científica-lança  livro  publicado pela editora Belin( no mercado desde 1777 ! ) sobre doze trabalhos de civilizações pré-colombianas e apresentando os progressos obtidos nos últimos vinte anos em campos  de  suas escavações arqueológicas.  

A partir deste estudo, mudou o modo como a  Amazônia pré-colombiana  é avaliada.
Enquanto as civilizações andinas  (astecas, maias, incas, etc) são muito bem mapeadas ,a obra revolucionária de Rostain evidencia que ali viviam  tribos isoladas , nômades e caçadores-coletores.  

Os doze trabalhos

Inspirado no modelo dos doze trabalhos de Hércules,Stéphen Rostain conta a transformação sofrida pela  Amazonia   depois do aperfeiçoamento da agricultura, do sedentarismo e  da utilização de cerâmica, numa expansão demográfica similar à de cerca de 5.000 anos atrás.
Algumas dessas civilizações foram dizimadas -como um vale do Equador-pela erupção do vulcão Sangay que cobriu a região  com densas camadas de cinza.

Os números citados impressionam.

Há mil anos, na Amazonia,existiam milhões de ameríndios que falavam centenas de idiomas. 
 Em pequenas e grandes cidades, os habitantes construíram estradas elevadas,reservatórios e diques para captar água e atrair peixes.  

Segundo Rostai,plantavam  variadas espécies   (mandioca milho, batata doce,abacaxis,cacau,tabaco,pimenta doce e muitas mais).

O choque microbiano
Vírus e bactérias que chegaram com os conquistadores europeus foram fatais.  
Estudos de solo mostram que no coração da Amazônia, e sem contato direto com os europeus , populações foram dizimadas.
Um fenômeno relatado pelos antropólogos:na chegada a uma pequena aldeia, esqueletos nas redes msotravam o rápido desaparecimento de um grupo de habitantes atingidos por doença desconhecida pelos seus sistemas imunológicos.

É uma leitura imperdível.

***************


 

Nenhum comentário: