quarta-feira, 9 de março de 2016

Bob Dylan anuncia seu novo álbum : "Fallen Angels "


 


 Texto em vermelho é de Marcelo Hessel
Bob Dylan anunciou nesta segunda-feira o seu novo álbum, o trigésimo-sétimo de sua carreira,  Fallen Angels. 
O disco sairá no dia 20 de maio, durante uma turnê de 30 shows pelo Japão e pelos Estados Unidos.
A tour começará em 4 de abril, em Tóquio, e vai até 17 de julho, em New Hampshire, nos EUA. Segundo a página oficial de Dylan, que fará 75 anos em maio, quem comprar um par de ingressos para esses shows levará de brinde uma cópia do álbum.
O disco mais recente do músico, Shadows in the Night, com versões de músicas gravadas por Frank Sinatra, como "Autumn Leaves" e "Full Moon and Empty Arms", saiu em 2015."
 ********

Gênio em 

permanente evolução




Bob Dylan? Ele é tudo.


Entretanto, a mística que acompanha esse gênio ,em evolução permanente desde a metade dos anos 60, poderia ter sido desfeita. Sua
geração perdeu Jimi Hendrix e Jim Morrison, mas "o maior poeta de todos
os tempos", segundo Allen Ginsberg, sobreviveu, está firme e lançou o
CD-DVD "Modern Times" e um livro compilando suas entrevistas: The
Essential Interviews, editado por Jonathan Cott,quando comemorou
65 gloriosos anos.

Bob Dylan (Robert Allen Zimmerman nascido em 24 maio de 1941 em Duluth,
Minnesota), autor, ator, DJ, compositor, músico, poeta ,artista plástico e intérprete, aos 9 anos de idade já estava iniciado nos estudos de piano, guitarra e acordeon.

No ginásio (The Hibbing High School),
começou a participar de pequenas bandas, sendo The Golden Chords a mais conhecida. Com esta formação, animou festas e participou de programas
de calouros.
Aos 18 anos entrou para a Universidade de Minesotta para estudar Artes.


Aluno faltoso, descobriu o folk ao trocar discos de jazz e rythm and blues com os amigos, enquanto matava aulas.



Além dos pseudônimos Elston Gunn, Blind Boy Grunt, Lucky Wilbury, Elmer Johnson, Sergei Petrov e Jack Frost, foi neste momento da vida que se
decidiu pelo mais famoso, referência ao poeta galês Dylan Thomas (Swansea, 1914 - Nova York , 1953), embora tenha negado o fato em várias entrevistas, talvez como estratégia de marketing.



CANDIDATO AO NOBEL



A variada produção que contém rock, folk music, country, blues, jazz e
baladas célticas influenciou artistas como David Bowie, Jeff Buckley,
Tom Waits, Elvis Costello e abriu novos horizontes para os
contemporâneos Elvis Presley, The Beatles, Neil Young, U2, P.J. Harvey e The White Stripes.



Ele mesmo sofreu influência da Beat Generation e dos legendários Hank Williams, Woody Guthrie e Robert Johnson. Fez shows e parcerias com Paul
Simon, Joan Baez, Tom Petty, Bruce Springsteen, Jack White, Eric Clapton, The Band e Mark Knopfle
Em plena atividade e correndo o mundo de concerto em concerto, comparado sempre a Arthur Rimbaud, jamais negou também a marca que Bertolt Brecht imprimiu em sua carreira que já chegou a mais de 50 anos.Antenada aos fatos que mudaram o mundo, a obra escrita de Bob Dylan- que se
aproxima da poesia surrealista- vem cada vez mais se aprimorando. Desde 1997 é regularmente indicado para o Prêmio Nobel de Literatura. 

LIBERDADE PARA VOAR


A recusa de ceder aos "cantos de sereia" da indústria fonográfica, que não foi muito bem entendida pelos
fãs, deu-lhe liberdade de mudar de estilo quando bem entendesse.
 sta riqueza intelectual, que se apresentava como uma espécie "variação de rota", elevou a música pop ao patamar das "artes sérias".
 
Os equívocos que Dylan cometeu (o "rock cristão" dos anos 80, por exemplo)
parecem ter sido com o objetivo de deixar de ser o centro de uma
verdadeira idolatria e tentar virar uma pessoa normal.Como se isso fosse
possível.



Nunca tendo sido propriamente um campeão de vendas, Bob Dylan influenciou gerações de artistas e continua mudando a visão do mundo de milhões de pessoas. Pinta e lançou o livro de desenhos "Drawn Blank." Uma parte de seu trabalho pictórico está no Kunstsammlugen Musem de Chemnitz, na Alemanha

Para se ter idéia da magnitude deste talento,as 175 obras(aquarelas e guaches) estão no mesmo espaço que abriga Picasso e Edvard Munch,pintor norueguês precursor do expressionismo.


Escreveu "Tarântula" em 1996,publicada em 1971.A edição em língua portuguesa é de 2007

Martin Scorsese filmou a "biografia definitiva" de Bob Dylan em " No direction Home"

Outra obra,"I'm not there"("Seis vezes Bob Dylan" em português),do diretor Todd Haynes, deu a Cate Blanchett, maravilhosa num dos Dylans.o prêmio de melhor atriz no Festival de Veneza de 2007.

O filme rodou todo o circuito dos festivais, sempre bem cotadíssimo e premiadíssimo. Em fevereiro de 2008, fez sua terceira turnê ao Brasil(Rio e São Paulo), a quarta foi realizada este ano.
Foi tema de uma exposição -entre 21 de novembro de 2008 e 25 de janeiro de 2009,na Proud Galleries,em Londres.

A mostra trazia retratos feitos pelo fotógrafo e cineasta norte-americano Jerry Schatzberg.


Bob Dylan ganhou o Prêmio Grammy pelo conjunto de obra, o Polar Music Prize, um lugar no Rock and Roll Hall of Fame,outro no Nashville Songwriters and Songwriters Hall of Fame e foi indicado pelo TIME Magazine como uma das 100 maiores personalidades do século passado.
***************************************************************

 

Nenhum comentário: