sexta-feira, 29 de maio de 2015

Dia D - 6 de junho de 1944- Tropas aliadas invadem a Normandia

Desembarque aliado em Omaha Beach, na Normandia


"O mais longo dos dias"   



No jargão militar Dia D (do inglês D Day) é o dia em que uma 

ação de combate deve ser iniciada. Para os franceses, o "Jour J" foi o da libertação de Paris e de todo o país.

 A expressão Dia-D apareceu pela primeira vez nas ordens de batalha do Exército Norte Americano na Primeira Guerra Mundial.Trata-se de um código para iniciar operações em sua fase de planejamento. 
Como alguns fatores ocasionais podem interferir na estratégia militar,a ação é estruturada da seguinte forma: marca-se o Dia (D), Hora (H) e minuto (M) do começo da ação  O dia anterior é dia D -1,a hora anterior é hora H -1.O segundo dia de operação é Dia D + 1. E assim por diante. 
O Dia D mais famoso da História foi o 6 de junho de 1944,quando foi iniciada a libertação do continente europeu, dominado pelos nazistas. Mas só no dia 25 de agosto do mesmo ano aconteceu a libertação total. 
Aquele junho havia começado com mau tempo,nuvens carregadas,mas o meteorologista  James Stagg deu a palavra final: assegurou ao General Eisenhower e ao Comandante das operações Marechal Montgomery que a chuva intermitente faria uma pausa no dia 6. 
Sem ajuda dos modernos e digitalizados aparelhos,a previsão do tempo parece um passe de mágica,uma profecia.
2 milhões de soldados  com o melhor material bélico jamais fabricado-estavam nas 3 mil embarcações  que aguardavavam  na costa da Inglaterra o início do ataque.
A Operação Overload  foi preparada nos mínimos detalhes pelo comando aliado
Tropas inglesas,americanas,canadenses e soviéticas,vindas do leste, fechariam um círculo que blindaria a Europa ocupada.


Senhas especiais foram divulgadas pelas rádios na véspera:os quatro acordes iniciais da Quinta Sinfonia de Beethoven, as palavras “Mickey Mouse” e o verso “Les sanglots longs des violons de l’automne blessent mon coeur d’une langueur monotone”, de Charles Baudelaire 
Na madrugada do dia 6,uma ofensiva composta de 175 mil soldados organizados em dois exércitos :o  US 1st Army liderado pelo General Omar Bradley, e o GB 2st Army comandado pelo general Miles Dems  atravessaram o Canal da Mancha e desembarcaram de surpresa no litoral francês 
A Muralha do Atlântico  
Com o General Rommel supervisionando as operações,Hitler decidiu proteger a costa do Atlântico com uma muralha de defesa:casamatas no litoral do Atlântico. 
 A "Muralha do Atlântico" vinha desde  a costa da Noruega até o norte da Espanha e, quando pronta se pareceria a "um colar de bunkers",um a cada 300 metros com canhões de 152mm,que deletariam do mapa qualquer embarcação que se aproximasse.  
Nesse instante,o general Erwin Rommel  ordenaria o deslocamento dos tanques que fariam o retrocesso na direção da praia e,para isso, contava  com divisões fazendo a guarda, sendo que 10 delas eram divisões Panzer.   O grande mistério era o local da invasão e,lógicoformal como nunca ,o Marechal von Rundstedt apostava no caminho pelo estreito de Calais,rota mais curta. 
Hitler um gênio do mal,mas um gênio, percebeu que os aliados  necessitavam de um grande porto e apostou em Cherbourg, na Normandia. 
O desembarque foi no local cujo codinome era Omaha Beach (6 de junho de 1944)e a expressão Dia D agregou tal conteúdo que as operações militares  não mais utilizaram o termo . 
Devido ao volume impressionante de navios de guerra, embarcações de transporte de tropas e aviões dos mais variados tipos e modelos  o Dia-D é considerado como a maior invasão aeronaval da História. 
O objetivo do assalto, segundo o general Eisenhower era,“ a ambição de que forças terrestres e aerotransportadas ocupassem a costa entre Le Havre até a península de Cotentin (ambos na Normandia francesa), e, a partir do sucesso em formar cabeças-de-praia com portos adequados, dirigir-se ao longo das linha do rio Loire e do Sena diretamente para o coração da França para destruir o poder alemão e libertar a França.”  
Bayeux  foi a primeira cidade a ser libertada pelos Aliados. Ali estão  o Cemitério Britânico e o Museu da Batalha da Normandia (Musée Mémorial ) e o Museu Americano dos Rangers     
Em Longues-sur-mer,para resgatar minhas origens e refazer minha história particular visitei,com meu marido e num certo dia especial, as baterias de artilharia pesada ainda bem conservadas  no litoral, as casamatas  (15 m x  12m)e um  dos quatro bunkers  que foram mantidos. 
O astral do local ainda assusta e comove.


*Naquela terrível e ,ao mesmo tempo,histórica manhã de 6 de Junho,os bombardeiros americanos despejaram no local mais de 600 toneladas de bombas,37 mil vidas foram perdidas, contabilizados172 mil feridos e desaparecidos e cerca de 200 mil soldados foram capturados após a ação. 

****************************************** 

Nenhum comentário: