segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Rita Lee


 

Alô,alô,Marciana
Rita Lee Jones,descendente de americanos que vieram para o Brasil depois da Guerra da Secessão, nasceu em São Paulo (capital) em 31/12/1947. Filha de Charles Fenley Jones e Romilda Pádula Jones, teve duas irmãs - Mary Lee e Virgínia Lee.
Usando a franjinha - até hoje sua marca registrada - Rita costumava fugir de casa para cantar em um grupo formado por amigas, até que uma crise de apendicite em pleno palco levou-a direto para a sala de cirurgia.
Pais e filha entraram num acordo : ela prometeu que seria estudante modelo e, em troca, pediu (e ganhou) uma bateria.
Com Sérgio Dias e Arnaldo Batista formou o grupo “Os Mutantes” - 6 discos gravados de 1966 a 1972.
Os anos de chumbo da ditadura não comportavam o deboche, a ironia e o visual dos músicos mutantes. O convite de Gilberto Gil, que estava estabelecendo as bases do movimento “Tropicália”, para acompanhá-lo num festival da TV Record, em “Domingo no Parque”, foi um verdadeiro arraso.
Arnaldo e Sérgio, numa crise de machismo, passaram a culpar Rita por todos os eventuais insucessos, dizendo que mulher não tinha nascido para o rock’roll. Entre 1970 e 1972, gravou dois álbuns solo, inclusive seu primeiro grande sucesso, com a música “José”.
Rita retornou ao grupo “ Tutti Frutti” - 4 discos gravados entre 1973 e 1978 - com quem gravou o disco “Fruto Proibido”, considerado por muitos “o melhor disco jamais gravado no Brasil”. No intervalo destes trabalhos, percorre o Brasil com o show “Refestança”, juntamente com Gilberto Gil , e do qual foi feita uma gravação ao vivo.
Conhece o músico Roberto de Carvalho, que tocava na banda de Ney Matogrosso e com ele inicia uma parceria amorosa e musical que vem rendendo muitos frutos.
Em uma de suas centenas de atitudes arbitrárias, a ditadura militar prendeu a artista, grávida de 3 meses, após invadir sua residência sob a acusação de porte de drogas.
O Brasil parou para acompanhar o caso e Rita, depois de um mês perambulando entre o DEIC e o presídio do Hipódromo foi condenada a prisão domiciliar pelo período de um ano.
Após este episódio saiu “Arrombou a Festa”, em parceria com Paulo Coelho (sim, ele mesmo).
O show “Bossa’n’roll”, no formato pioneiro que hoje se chama de “acústico” foi a comemoração dos 14 anos de parceria musical entre Rita Lee e Roberto de Carvalho.
Em 1995, o casal é convidado para abrir os shows do grupo de rock “Rolling Stones”, que fazia uma turnê brasileira no Rio e em São Paulo. “A marca da Zorra” e “Santa Rita de Sampa” foram os trabalhos seguintes, coincidindo com o casamento oficial de Rita e Roberto após vinte anos de relacionamento e na presença dos 3 filhos:Beto, João e Antonio.E já é avó.
Em 1998, sai o CD “Acústico MTV” com participação de Milton Nascimento, Cassia Eller e Titãs.
“3001”, produzido por Roberto de Carvalho, ganha prêmio de melhor disco de Rock no Grammy Latino, em 2001. Contrariando as previsões machistas, Rita Lee - cantora, compositora, instrumentista, atriz de cinema, escritora - ganha sua vida fazendo música. Todo mundo que realmente conta no Brasil já gravou com ela.
O segredo da “longevidade” da maravilhosa artista parece ser a sabedoria de mudar constantemente - a continuidade do seu projeto inicial de permanecer a mesma “ovelha negra”.
**********************************************

Nenhum comentário: