sábado, 1 de dezembro de 2012

Luiz Gonzaga-centenário de nascimento




 Desde outubro está em cartaz o filme "Gonzaga - De Pai Pra Filho", de Breno Silveira ("Dois Filhos de Francisco"), que conta a história do músico,cantor e compositor  Luiz Gonzaga e sua relação problemática com o filho, Gonzaguinha .
  Chambinho do Acordeon,  interpreta o Rei do Baião, e o ator Julio Andrade faz o papel de seu filho.

*****************
Exu, 13 de dezembro de 1912 — Recife, 2 de
agosto de 1989


Felizmente vai mudando o péssimo hábito de não cultuar nossos astros mortos, vamos nos civilizando.

Ele foi uma espécie de carioca honorário, aqui morando no bairro de  Jardim Candelária, na Rua Vereador Jansen Muller,zona norte do Rio,durante muitos anos. 

“Vassouras” ("Vassouras,Vassouras, bela cidade dos tempos coloniais,,")  foi composta em homenagem `a cidade dos barões do café no interior do RJ, onde tinha um sítio.

Em 2009,  na data do vigésimo aniversário da morte ,o Governador de São Paulo,José Serra, esteve em em Exu. 

Visitou a fazenda onde o artista nasceu e.depois,  foi ao parque Asa Branca,onde stá o museu com o acervo do compositor e intérprete.

Palavras do então Governador Serra, que participou também  de uma festa para mais de 200 mil pessoas em São Paulo,para marcar os  vinte anos do desaparecimento do astro :”Luiz Gonzaga  foi o artista que melhor soube interpretar a alma do povo da região.”

Em Recife, violeiros de toda parte chegaram ao Recife para continuar a festa, do jeito que Gonzaga gostaria.
  *******
 Luiz Gonzaga do Nascimento nasceu na Fazenda Caiçara,no sopé da Serra de Araripe em Exu (PE),que serviu como inspiração mais tarde para “Lá no meu pé de serra”.
  
Filho de  Januário lavrador e sanfoneiro, desde criança se interessou pela sanfona de oito baixos do pai,que está lá na música "Luiz, respeita Januário".  

Em 1930, ao servir  o o exército como voluntário,para fugir de um amor que resolveram que era impossível d viajou pelo Brasil como corneteiro.

Dando baixa em 1939, fixou-se no    Rio de Janeiro, com uma sanfona recém-comprada com as economias do soldo.

Começou a se apresentar em bares e  mesmo na rua,tocando valsas,boleros e tangos.

Foi ao programa de calouros de Ary Barroso e tocou seu chamego "Vira e Mexe",ganhou o primeiro prêmio e elogios do apresentador-que dava medo aos participantes pela sua ranzinzice.

Descoberto o filão, Gonzagão passou a frequentar programas de rádio - substituindo ,inclusive, seu ídolo Antenógenes Silva e começou a compor.

A partir de 1943, começou a usar  o traje típico de vaqueiro nordestino apresentando-se vestido a caráter como nordestino .

Seu maior sucesso, "Asa Branca",parceria com  Humberto Teixeira), foi gravado em 1947 evem sendo regravado inúmeras vezes por diversos artistas até hoje.

Não há forró, desde a feira de São Cristóvão,no Rio, até o cantinho mais distante do país, em que você não ouça  “Asa Branca”
Artista exclusivo da Rádio Nacional,teve o auge da popularidade em 1954

A chegada da  bossa nova fez com que Gonzaga se afastasse dos grandes centros e se direcionasse para o interior do Brasil,onde foi e é muito popular até hoje.

Voltou à cena quando Caetano Veloso,Gil, Geraldo Vandré e Milton Nascimento fizeram releituras de sua obra nos anos 70 e 80.
Ele nos deixou também o filho Gonzaguinha, que partiu cedo e pouco tempo depois do pai,num acidente automblístico no Paraná (Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior  - 1945-1991)
                    

 Principais sucessos

(fonte www.cliquemusic.com.br)

“Algumas de suas músicas mais conhecidas são as parcerias com Zé Dantas: "Vozes da Seca", "Algodão", "A Dança da Moda", "ABC do Sertão", "Derramaro o Gai", "A Letra I", "Imbalança", "A Volta da Asa Branca", "Cintura Fina", "O Xote das Meninas";
Paarcerias   com Humberto Teixeira: "Juazeiro", "Paraíba", "Mangaratiba", "Baião de Dois", "No Meu Pé de Serra", "Assum Preto", "Légua Tirana", "Qui Nem Jiló".
Outras parcerias que tiveram êxito foram "Tá Bom Demais" (com Onildo de Almeida), Danado de Bom" (com João Silva), "Dezessete e Setecentos" e "Cortando o Pano" (ambas com Miguel Lima).”

Nenhum comentário: