domingo, 11 de outubro de 2009

Adeus, Mercedes Sosa


Cala-se a voz dos que não tinham voz nas ditaduras sul-americanas
(outubro,2009)  

"Os militares latinos aplicavam suas operações com dor e morte. E os poetas,músicos e cantors espalhavam esperança e resistência por todo o continente Mercedes Sosa era a voz maior das nossas Américas,o canto que juntava multidões em torno dos iderais de liberdade,igualdade e fraternidade”
Fernando Brandt,compositor
*********
Haydée Mercedes Sosa, chamada La Negra por ser mestiça de índios quíchuas e de franceses,contralto que emprestou sua voz aos que não podiam se expressar durante a ditadura argentina,ativista dos direitos humanos com 50 anos de carreira, morreu, aos 74 anos em 4/10/.2009. Deixou a cena musical algumas vezes,nos últimos tempos devido a problemas de saúde,mas conseguiu trabalhar ainda em 2009,lançando album duplo "Cantora' com estrelas espanholas e latino americanas :Joan Manuel Serrat, Luis Alberto Spinetta, Caetano Veloso e Shakira).
Nascida em San Miguel de Tucumán,em 9 de julho de 1935, no dia em que foi assinado o tratado da independência de seu país e na cidade onde se deu o evento.
Tinha, assim, motivos para ser patriota e foi uma das mais importantes vozes do movimento Nueva Canción,que valorizava as raízes sul americanas,africanas, cubanas, andinas e espanholas e tinha compromisso com as demandas sociais desses povos.. Foi educada de acordo com as normas do peronismo,como todas as crianças de sua geração.
.Aos 15 anos, venceu um concurso de canto e assinou contrato de dois anos comemissora de radio de sua cidade natal.
                
A carreira "La voz de la zafra"a foi o primeiro album, gravado em 1959 Uma bela performance no Festival Folclórico Nacional a tornou conhecida dos povos indigenas argentinos
Veio o casamento com. Manuel Óscar Matus, com quem teve um filho.Em 1965,lançou Canciones con fundamiento, coleção de músicas folclóricas da Argentina. Uma temporada pelos Estados Unidos e pela Europa.em 1967, a tornou estrela de nível internacional
Em 1971, gravou um tributo à cantora e compositora chilena Violeta Parra, ajudando a popularizar a canção "Gracias a la vida"
Mais tarde, um álbum em homenagem a Atahualpa Yupanqui. compositor, cantor, violonista e escritor argentino.
Eclética,nos anos seguintes, Sosa gravou tanto com compatriotas como León Gieco, Charly García, Antonio Tarragó Ros, Rodolfo Mederos e Fito Páez, quanto com internacionais como Chico Buarque, Daniela Mercury, Milton Nascimento, Caetano Veloso, Gal Costa, Sting, Andrea Bocelli, Luciano Pavarotti, Nana Mouskouri, Joan Baez, Silvio Rodríguez e Pablo Milanés

                    Exílio e Ativismo
Quando Isabelita Peron foi deposta em 1976 e a ditadura de Jorge Videla, assumiu o poder,não havia mais palco para Mercedes Sosa,ativista peronista de esquerda.
Foi presa em cena, durante um concetro em La Plata (1979), junto com o público que lotava o show.
Banida da Argentina, foi se refugiar em Paris e Madri.Seu segundo marido morreu no exílio, em 1978.
Sosa retornou à Argentina em 1982, vários meses antes do fracasso do regime ditatorial ,que se pulverizou como resultado da derrota na guerra das Malvinas
Fez um show no Teatro Colón,quando convidou muitos colegas jovens para dividir a cena com ela. Um álbum duplo com as gravações dessas performances logo se tornou um sucesso de vendas. Nos anos seguintes, continuaram suas turnês pela Argentina e pelo exterior, cantando em lugares como o Lincoln Center e Carnegie Hall
O repertório,da mesma forma, se diversificou.Gravou um dueto com a sambista Beth Carvalho, "So le pido a Dios", cada uma cantando em seu idioma. Em 1981 gravou o sucesso "Años" com o cantor cearense Fagner.
Seu último álbum, Cantora, traz duetos com artistas que são referência na música latino-americana.
Sempre ativista dos movimentos de esquerda, foi oposição durante o governo do presidente Carlos Menem e manifestou apoio às eleições de Néstor e Cristina Kirchner. Era Embaixadora da Boa Vontade da UNESCO para a América Latina e o Caribe. Por três vezes( 2000, 2003 e 2006 ) ganhou o Grammy Latino de melhor álbum de música folclórica. "Balderrama", de Horacio Guarany, está na trilha-sonora do filme Che (2008)
Trabalhou até poucas semanas antes de ser internada, e cumpriu o desejo de “morrer como uma cigarra”.cantando até o fim. Seu último álbum, Cantora, encontra-se indicado a três prêmios Grammy Latino. 
A presidente argentina Cristina Kirchner declarou luto oficial de três dias pela morte da cantora e antecipou o regresso de uma viagem a Patagônia para estar presente ao velório. Em todos os jogos de futebol foi prestado um minuto de silêncio em homenagem à grande artista. *********************************************************
Discografia (fonte Wikipedia)
La voz de la zafra (1962)
Canciones con fundamento (1965)
Yo no canto por cantar (1966)
Hermano (1966)
Para cantarle a mi gente (1967)
Con sabor a Mercedes Sosa (1968)
Mujeres argentinas (1969)
Navidad con Mercedes Sosa e El grito de la tierra (1970)
Homenaje a Violeta Parra (1971)
Hasta la victoria (1972) .
Cantata Sudamericana (1972)
Traigo un pueblo en mi voz (1973) .
Niño de mañana e A que florezca mi pueblo (1975)
La mamancy En dirección del viento (1976)
O cio da terra , Mercedes Sosa interpreta a Atahualpa Yupanqui e Si se calla el cantor (1977)
Serenata para la tierra de uno (1979)
A quién doy e. Gravado ao vivo no Brasil (1980) .
Mercedes Sosa en Argentina (1982)
Mercedes Sosa , Como un pájaro libre e. Recital (1983) 
¿Será posible el sur? (1984).
Vengo a ofrecer mi corazón (1985)
Corazón Americano (1985) (com Milton Nascimento e León Gieco) .
Mercedes Sosa '86 (1986)
Mercedes Sosa '87 (1987)
Gracias a la vida (1987) .
Amigos míos (1988)
En vivo en Europa (1990)
De mí (1991)
30 años (1993)
Sino (1993)
Gestos de amor (1994)
Oro (1995) .
Escondido en mi país (1996)
Alta fidelidad (1997) (com Charly García) .
Al despertar (1998)
Misa Criolla (2000)
Acústico (2002)
Argentina quiere cantar (2003) (com Víctor Heredi e León Gieco).
Corazón Libre (2005) 0.
Cantora (2009) Filmografia (idem)  
Como atriz e aparições na TV
Güemes, la tierra en armas (1971), no papel de Juana Azurduy
Ela mesma 0.Argentinísima (1972)
.Ésta es mi Argentina (1974)
.Mercedes Sosa, como un pájaro libre (1983
Será posible el sur: Mercedes Sosa (1985)
Historias de Argentina en Vivo (2001)
.La noche del 10" (2 episodios, 2005):
Episodio #1.6 e #1.7 TV .Three Voices: Live in Concert (2004)
The Power of Their Song: The Untold Story of Latin America's New Song Movement (2008)La imagen de tu vida: Episodio #1.10 (2006)   Banda sonora (1 episodio, 2008):
Episodio #4.11 TV :(canta: "Duerme negrito") 0.Che: Part Two (2008) (canta: "Balderrama")
.Buongiorno, notte (2003) (canta: "Gloria", "La Huida (Vidala Tucumana)")
Como compositora

Las dignas mujeres por la dignidad y la vida (2002)
Como si nada hubiera sucedido (1987)
Mercedes Sosa: como un pájaro libre (1983)

Nenhum comentário: